Informações‎ > ‎

Ozonioterapia - Informações aos Usuários

(Texto do autor baseado em prospecto de informação ao paciente distribuido nas clínicas alemãs)

O que o oxigênio não consegue, é possível com o Ozônio.

O que é Ozônio?

Ozônio é uma formação molecular especial do elemento oxigênio, composto por 3 moléculas atômicas desse elemento. Ele tem um grande efeito de oxidação, por isto é chamado de oxigênio ativo. É um elemento natural da nossa atmosfera.

Como nós produzimos Ozônio?


Oxigênio puro (oxigênio medicinal) submetido a uma energia de descarga muito alta, através de um gerador de descarga. Em 1857 Derner V Simens usou este método para fabricar Ozônio. O princípio para produzir o nosso Ozônio medicinal é, até hoje, o mesmo do Ozônio = oxigênio ativo.

Qual é o efeito do Ozônio no corpo humano?


1 . Ajuda desintoxicar o fígado
2 . Desintegra gorduras como o coleterol e os triglicerídeos. Estas gorduras são conhecidas como o grande fator prejudicial às coronárias (enfarte) e derrames (acidente vascular cerebral).
3 . Melhora bastante o metabolismo das células e a produção energética de todo o organismo.
4 . Reduz significativamente o ácido úrico - a causa da gota e fator prejudicial aos vasos.
5 . Melhora o fluxo sanguíneo, corrige perturbações da circulação e evita novas sobrecargas.
6 . Diminui nitidamente a aglutinação dos glóbulos vermelhos (hemácias), melhorando o fluxo de oxigênio e o fluxo sanguíneo.
7 . Aumenta a oferta do oxigênio para o tecido e leva com isto a uma maior avidez do tecido pelo oxigênio.
8 . Elimina muitas espécies de bactérias, vírus, fungos e suas novas formações.


Os Tipos de Ozônioterapia


A Ozônioterapia tem mais ou menos 80 anos, e tem sido desde então usada pelos terapeutas, com grandes resultados no mundo inteiro. Milhões de tratamentos já foram feitos nas mais diversas formas, seja como:
Aplicações via retal, intramuscular, intravenosa, e intra-arterial, puro ou misturado com sangue (autohemotransfusão) ou com vários tipos de substâncias. Uso local em pontos doloridos (miogelosas), em articulações e em volta de articulações, de tumores, abscessos (feridas nas pernas), dentro e em volta de varizes, telangectasias (microvarizes) e em regiões de celulite.

Um grande avanço na Ozônioterapia foi obtido há alguns anos com a possibilidade da "Ozonioterapia Hiperbárica" com o aparelho Hyper-Medozon.

Assim, usando a dosagem exata, tornou-se possível o tratamento intensivo com Ozônio.

Nesta terapia, junta-se o Ozônio à hemoglobina e ao plasma sanguíneo sob pressão em uma garafa de infusão. O Ozônio e o oxigênio são aceitos em grande quantidade pelo sangue, que ao retornar ao sistema circulatório, é capaz de liberar expressiva quantidade de Ozônio e oxigênio no ponto de lesão do corpo humano.

O efeito da "Ozonioterapia Hiperbárica" depende da quantidade e concentração do Ozônio, e tem sido documentado cientificamente por vários autores.

Em milhares de tratamentos este método foi decisivo para o sucesso da terapia. Sendo usado corretamente ele é totalmente livre de efeitos colaterais. Nos quadros mais graves a indicação para o emprego da Ozonioterapia, em especial da "Ozonioterapia Hiperbárica" se impõe. Segue uma relação de algumas doenças onde se consegue melhoras significativas:

  • Artrose em todas as articulações
  • Arteriosclerose dos vasos do coração ( dores no coração com ou sem esforço)
  • Todas as lesões do fígado por álcool ou vírus.
  • Perturbações da circulação dos braços, pernas (pernas com feridas) e do cérebro.
  • Tratamento após um ataque de derrame (com ou sem paralisia)
  • Doença de Parkinson
  • Doenças reumáticas, como reumatismo dos membros, ciática ou lumbago
  • Alto teor de gordura no sangue
  • Ácido úrico (gota)
  • Abrevia convalescência após doenças graves
  • No câncer como terapia de apoio (sucesso comprovado)
  • Todas as doenças dos olhos, onde a causa é a perturbação da circulação
  • Enxaqueca
  • Tonteira e alterações do equilíbrio e zumbido (labirintite)
  • Fadiga crônica e polimialgia reumática
Uma área muito importante da Ozonioterapia, principalmente da "Ozonioterapia Hiperbárica", ainda não foi abordado:

A prevenção de doenças, principalmente as que possuem fatores de risco como Nicotina, Colesterol alto, ácido úrico alto, pressão alta, diabetes e idade avançada.

Há 50 anos atrás a idade média do ser humano era de até 50 anos. Hoje ela está entre os 70 e 77 anos. Com a idade avançada aumentam as mudanças nos tecidos como: Arterioesclerose em todos os vasos ( infarto do coração, derrame, perturbações da circulação nas pernas, etc.), queda na captação do oxigênio pelo pulmão, levando a uma baixa resistência do corpo e também ao câncer.
Em suma, as mudanças corporais negativas, são resultantes em grande medida do mal fornecimento de oxigênio aos tecidos. A falta de oxigênio leva à aceleração do processo de degeneração celular e à sobrecarga de tecidos e órgãos.

Já que, comprovadamente, esta terapia melhorou ou curou, a olhos vistos, doenças degenerativas, é natural que a indiquemos também no processo preventivo. Ao se atuar preventivamente ou na fase inicial do processo degenerativo, o ganho de vitalidade é muito mais expressivo.

Precisa-se chamar a atenção, para o tratamento das doenças em seu estado inicial, pois a maioria dos pacientes se dirigem somente à Ozonioterapia, quando o estado de seu adoecimento se encontra avançado, quando outras terapias não obtiveram sucesso.

Se o seu quadro clínico não se encontra listado neste artigo, não quer dizer que a Ozonioterapia não é recomendável para o seu caso. Consulte um terapeuta com conhecimento em Ozonioterapia, para saber se você também poderá se beneficiar desta fantástica terapia.